Demóstenes Torres é cassado. - Blog do Walter Lima

Destaques:

Adsense Abaixo do Cabeçalho

Adsense Início dos Posts

Raynet-telefone-blog-do-walter-lima-anunciar

11 de jul de 2012

Demóstenes Torres é cassado.


Em 188 anos de existência, Senado tem o seu segundo integrante cassado
FOTO DA PAGINA ENQUANTO ISSO NO BRASIL NO FACE
O julgamento foi implacável: por 56 votos a favor, 19 contra e cinco abstenções, o Plenário do Senado cassou, nesta quarta-feira, o mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido) por envolvimento com o empresário do jogo do bicho e contraventor Carlinhos Cachoeira. Demóstenes caiu após confirmadas as suas ligações com o esquema de Cachoeira, que passava por tráfico de influência e articulações para garantir a presença da Construtora Delta em grandes obras do Governo Federal. Em 188 anos de existência, o Senado teve, nesta quarta-feira, uma data histórica com a cassação do seu segundo integrante - o primeiro foi Luiz Estevão (DF), cassado, em 2000, por envolvimento com o desvio de dinheiro na construção da sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo.

A votação foi antecedida de debates, discursos, críticas e frases duras contra o parlamentar de Goiás. O destino de Demóstenes estava traçado e o temor de poucos senadores sobre a absolvição do colega de Parlamento foi superado com as cadeiras ocupadas no plenário. Não tinha escapatória e a cassação era o único caminho para o Senado responder a aspirações populares sobre a necessidade de cortar na própria pele e dar exemplo de compromisso com a moralidade e a ética na política. O resultado da votação não foi diferente desse sentimento.

Os senadores encerram o primeiro semestre de atividades de 2012 deixando um bom exemplo para a atual legislatura: a cassação de um mandato tem um custo elevado, mas o custo seria maior se os senadores deixassem Demóstenes impune. É o primeiro parlamentar a cair por conta das investigações sobre o esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira e da construtora Delta. As investigações continuam, mas talvez a maior expressão política a ruir foi justamente o já ex-senador Demóstenes Torres.

Ao longo da vida parlamentar, crítico ferrenho do Governo Lula, do mensalão e tido como exemplo de ética na vida pública do País, Demóstenes foi reeleito, em 2010, pelo DEM, e, no segundo ano do novo mandato, foi flagrado em escutas telefônicas que o colocaram contra a sua própria história - história de correção e ética, pelo menos, no discurso. A trajetória de Demóstenes levou o senador Rodolfe Rodrigues (PSOL-AP) a compará-lo a um ídolo de barro, que enganou o povo e os senadors. Demóstenes cai, abre a vaga para o suplente Wilder Pedro de Morais (DEM) e fica impedido de disputar as eleições de 2014, 2018, 2020, 2022, 2024 e 2026. Estará reabilitada a disputar mandatos eletivos em 2028. A repercussão sobre a cassação de Demóstenes Torres entra na pauta do Jornal Alerta Geral (FM 104.3, Grande Fortaleza), na manhã desta quinta-feira, a partir das 7 horas. O Alerta Geral tem o comando do jornalista Luzenor de Oliveira e a participação especial do jornalista Beto Almeida.

Matéria reprodução Ceará Agora
Reportagem de: Robson Cruzuer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seus comentários. Cautelosamente apreciaremos para liberação.
Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

LEIA TAMBÉM:

Receber notícias no e-mail

Adsense Final dos Posts