Duas pessoas morrem vítimas de acidentes de moto em Milhã - Blog do Walter Lima

Destaques:

Adsense Abaixo do Cabeçalho

Adsense Início dos Posts

18 de ago de 2019

Duas pessoas morrem vítimas de acidentes de moto em Milhã

A motocicleta é um dos meios de transportes mais ágil e econômico. No entanto, tem tirado a vida de muitas pessoas, principalmente no interior. No último final de semana Milhã vivenciou novamente mortes no trânsito. Dois acidentes em Milhã envolvendo motocicletas deixaram duas pessoas mortas neste município do Sertão Central do Ceará. 
Um dos acidentes ocorreu na CE-371 na região do distrito de Baixa Verde, distrito que fica entre a sede e o distrito de Betânia. Uma mulher identificada como 'Marinete'  pilotava uma moto Honda POP de placa não anotada e teria sobrado em uma curva da rodovia onde acabou falecendo. O acidente teria ocorrido na noite do sábado, 17, e o corpo da mulher só foi encontrado na manhã deste domingo. Ela residia na Avenida José Gomes, centro de Milhã. Não há mais informações até o momento. 

Um homem identificado apenas como 'Rodolfo' que residia no sítio Alto Vistoso em Milhã foi a vítima fatal. 


Segundo as informações do repórter Carlos Lopes Portal DM o acidente aconteceu na BR-226 entre Milhã e Senador Pompeu na altura da entrada do Codiá. Ele também trafegava em uma motocicleta, porém, a Polícia ainda não informou maiores detalhes de como ocorreu o acidente.



Acidentes de trânsito provocaram a morte de 35,3 mil pessoas, em 2017. É o que mostram os dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Os números são preocupantes, e um detalhe chama a atenção: a maior parte das vítimas fatais é do sexo masculino e jovens em idade produtiva, entre 20 a 39 anos (36,75%). São milhares de mortes prematuras, ocorridas todos os anos, com forte impacto social, econômico, no setor saúde e para as famílias.

Segunda maior causa de mortes externas no país, os acidentes de trânsito geram uma grande sobrecarga nos serviços de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS) com números crescentes de internações. Em 2017, foram 182.838, gerando gastos de aproximadamente R$ 260,7 milhões. Deste total de internação, 78,2% ocorreram no sexo masculino.
As principais vítimas fatais foram: os motociclistas (12.199), seguidos de ocupantes de automóveis e caminhonetes (8.511); pedestres (6.469); e ciclistas (1.306).

Em mulheres, os óbitos por acidente de trânsito foram de 6.336, correspondendo a 18% dos casos em 2017. A maior parte delas também eram jovens, em idade entre 20 e 39 anos (35,7%).

A gravidade do impacto dos Acidentes de Trânsito Terrestes (ATTs) na saúde pública inclui também o tratamento das sequelas emocionais e físicas. Segundo estudo baseado em 1,7 milhões de internações por ATT entre 2000 a 2013, foi evidenciado que 23,5% dos pacientes apresentaram diagnóstico sugestivo de sequela física, sendo que amputação e traumatismo crânio encefálico são as principais causas, sobretudo entre homens de 20 a 29 anos, pedestres e motociclistas (Araújo & Mello, 2016).
Fatores

Há fatores que impactam profundamente na ocorrência e gravidade dos acidentes de trânsito. Esses fatores estão relacionados à qualidade da infraestrutura viária, às condições do veículo e ao comportamento dos usuários de veículos.

Entre os fatores de risco relacionados aos usuários destacam-se a associação de álcool e direção e velocidade excessiva ou inadequada. Já aqueles que contribuem para gravidade dos acidentes destacam-se o não uso de equipamentos de proteção (capacete; cinto de segurança; dispositivo de retenção para crianças, etc).

Vale lembrar que o uso rotineiro do capacete para motociclistas é comprovadamente capaz de reduzir em até 40% a mortalidade e em até 70% os acidentes graves. Nos ciclistas, o uso do capacete também pode reduzir traumatismos cranianos em cerca de 60% dos casos.

A velocidade também é um fator de risco que aumenta a probabilidade de colisões. Há evidências que indicam que o excesso de velocidade entre 10 km/h ou 15 km/h acima do limite fixado contribui para ocorrência dos acidentes, principalmente quando envolve grupos vulneráveis como ciclistas e pedestres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seus comentários. Cautelosamente apreciaremos para liberação.
Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

LEIA TAMBÉM:

Receber notícias no e-mail

Adsense Final dos Posts

Raynet-telefone-blog-do-walter-lima-anunciar